Cada vez mais o(a) paulistano(a) procura um bar para chamar de seu após o expediente. Encontrar os(as) amigos(as), desopilar o fígado, falar mal do(a) chefe, paquerar, ouvir música, fugir do rodízio e do trânsito pesado do horário de pico são apenas alguns itens da quase infinita lista de pretextos para explicar um sucesso de crítica…